quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Uma melodia para você


Por Magali Pastore
Feche os olhos e deixe se levar pelos mais profundos pensamentos. Aqueles que estão na alma, à espera de ser curado ou até mesmo resgatado. Não se esquive de você e de quem você é. Dê-se a liberdade para sentir, tudo que tiver no mais íntimo do seu ser.
A vida está aí, no mesmo ritmo, sem esperar, sem pensar e sem mudar a direção. Seja você a pessoa que vai encontrar a sua direção, ajustar seus passos e bailar conforme sua melodia mais íntima, que apenas sua alma pode escutar.
Não perca tempo querendo escutar a multidão. Grite, chore, dance, ria, sorria e encontre dentro de si motivo suficiente pelo novo dia de cada dia.
Não acredite em nada ou acredite em tudo, mas ainda assim acredite em você.

Permita o resgate, o acalento do espírito, a fé nas profundezas do seu âmago.
Sente-se e escute a música que vem de você.
Se sinta tão profundamente que seus poros irão exalar amor e energia.
Deixe-se se tocar pelos seus pensamentos de amor, há uma luz que apenas espera entrar e transformar 
a escuridão que tem em você.
Toda dor, todo rancor e qualquer desamor será levado e entregue ao universo para que se dissipe e se transforme em vagas lembranças;
é hora de amar e buscar o amor que tem em si; abra os braços e receba a vida em sua plenitude.
Alimente-se de boas palavras, de bons sentimentos e canalize esse seu alimento, como base, para a mudança que você quer vê em sua vida.
Não desista. Recomece quantas vezes for necessária, e cada momento, se erga de outra forma, com mais força, mais maturidade e mais humildade.
Espero isso de você e de mim também.
Muita luz na sua caminhada!

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Iemanjá

Imagem Google
Oh! Iemanjá, sereia do mar. Canto doce, acalanto dos aflitos.
Mãe do mundo tenha piedade de nós.
Bendita são as bençãos que vem do teu reino.
Meu coração e minha alma se abrem para receber as bençãos de Iemanjá.

Mãe que protege, que sustenta, que leva embora toda dor. 
Mães dos Orixás, Mãe que cuida e zela pelos seus filhos e filhas. 
Iemanjá, sua luz norteia meus pensamentos e suas águas lavam a minha cabeça. 

Fecho os olhos e nos meus pensamentos a imagem do mar reflete os sentimentos que vivo em diferentes fases da minha vida. Ora me vejo em águas calmas e em outros momentos a turbulência me toma conta. Sou um pouco de cada coisa ou coisa nenhuma. Trago na minha alma, uma sucessão de pensamentos e ideias que vieram inserido no meu espírito, com minha ancestralidade. Trago a força da água, entranhada em minha alma, na minha pele e na minha luta diária. Sou ainda assim, um pouco de tudo, um pouco que me basta, me acalenta e me ergue quando preciso.
Um pouco de mim pertence as águas salgadas. Me divido entre as estradas e as batalhas, mas não me preocupo, uma hora é guerra e outra hora é água, é isso que sou e é onde estou. Trago-lhe flores ou alfazema, não importa, meu coração está com ela.


quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Feliz Ano Novo! Chegou 2014....


Um novo ano. Momento de refletir e estabelecer objetivos. Leia o texto a seguir, depois reflita e compartilhe o que achou...
beijos doces por 2014.

Rever o passado olhar com olhos calmos pro meu presente e fazer o possível para não ficar pensando no futuro – ao menos nesse futuro daqui alguns anos que ninguém na verdade sabe se chegará -. Fecho os olhos e começo a pedir. Não são coisas muito complicadas de serem atendidas. Ao menos eu acho que não. Apenas me concentro em cada rosto que já conheci até hoje e nos sentimentos que tenho por cada uma dessas pessoas. Que não nos faltem bons sentimentos sejam no Natal ou em qualquer dia do Ano Novo que se aproxima. Que nos falte egoísmo. Que nos sobre paciência pra enfrentar mais trezentos e sessenta e cinco – ou seria trezentos e sessenta e seis? – dias. Que sejamos capazes de enxergar algo de bom em cada momento ruim que nos acontecer. Que não nos falte esperança. Que novos amigos cheguem.Que antigos amigos sejam reencontrados.Que cada caminho escolhido nos reserve boas surpresas. Que músicas de letras e melodias bonitas nos façam suspirar.Que a cada sorriso que uma criança der nos faça ter um bom dia e enxergar uma nova esperança. Que nos sobre tempo para beber e conversar com os amigos. Que cada um de nós saiba ouvir cada conselho dado por uma pessoa mais velha. Que não nos falte vontade de sorrir apesar dos pesares. Que sejamos leves. Que sejamos livres de preconceitos. Que nenhum de nós se esqueça da força que possui. Que não nos falte fé e amor.
Caio Fernando de Abreu

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Fica a Dica




sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Félix: Bonzinho ou malvado?

Imagem Google
   Não se pode negar que Mateus Solano está se destacando no papel de Félix, na novela Amor à Vida, exibida na Rede Globo, no horário nobre. O personagem tem altos e baixos e mudanças extremas, que sinceramente, não sei se o odiamos ou o amamos, mesmo diante das evidências dos seus crimes e barbaridades.
   O autor não deixa dúvida que está humanizando o personagem, mas me pergunto: será que a maldade que tem dentro de si acaba? Como negar que o comportamento de Cesar, vivido pelo ator Antônio Fagundes, é repugnante com Félix, favorece para que evidencie o que já tem consigo. Não deve um pai condenar um filho por um motivo tão ínfimo; como se um bebê fosse capaz de prever a hora de chorar para que seu outro irmão caísse na piscina e se afogasse. São fatalidades que acontecem diariamente e não sabemos o por que.    Só uma mente doente pode acreditar em tal absurdo, mas não é de se admirar que Cesar seja um homem com muitos preconceitos e mal resolvido. A rejeição machuca tanto que causa dor física, dilacera a alma e produz marcas profundas.
   Não tenho dúvida que Félix tem uma porção de maldade dentro de si, mas o fato de sempre ter tido o apoio da mãe soberana, interpretada pela atriz Suzana Vieira, para colocar em prática o que desejasse e sem limite, simplificou na hora de colocar para fora sua maldade e sua falta de escrúpulo. Nunca soube o que é limite e nunca teve consequência.
   Tem uma coisa que me faz gostar de Félix é se mostrar como de fato é. Ele tem a noção de quem é e como age e não se mascara. Ao mesmo tempo, que acho algo positivo, no fundo sei que encontrar no caminho alguém sem piedade é doloroso, por que não tem limite e não sabe a hora de parar, justifica seus atos insanos baseado na atitude do outro. Sempre há alguém que faz sofrer e em alguns momentos ele mesmo sofre.
   Todo este conjunto o torna um ser complexo, capaz de despertar sentimentos bons e ruins, mexendo com nosso imaginário. Pedida de uma boa reflexão, voltaremos a falar mais sobre ele.